Total de visualizações de página

segunda-feira, 27 de julho de 2015

Palestra para cooperados na Colagua nesta quinta-feira (30)



Acontece na próxima quinta-feira, 30, ás 18h30min, na Colagua a palestra "Protocolos Vallée na Qualidade do leite", o palestrante é Eduardo Shalders que na oportunidade vai tirar dúvidas com especialistas, além de ampliar o conhecimento dos cooperados e participantes sobre temas relevantes a pecuária.

Não deixe de ir:

Dia: 30/07/2015
Local: Colagua
Horário: 18h30min
Palestrante: Eduardo Shalders

quarta-feira, 22 de julho de 2015

IN 62 com novo prazo


                                                    Os pecuaristas precisam começar a fazer as mudanças 

Falta pouco menos de um ano para nova legislação do leite passar a valer, a adequação deve acontecer em julho do ano que vem, para muitos as mudanças já aconteceram, mas para alguns proprietários nem começaram. A Instrução Normativa (IN) 62, passa a valer para a produção do leite nas regiões brasileiras do Sul, Sudeste e Centro-Oeste. As mudanças atingem em cheio a qualidade do produto.
Segundo Carlos Reuteman Barbosa, coordenador técnico da Coopttec, muitas cooperativas trabalham com a informação ao produtor. “A primeira mudança que deve ser feita é de postura do produtor, pois no momento já temos a normativa com índices de UFC/CBT de 300 x 1000/ml e CCS de 500 x 1000/ml, mas os produtores estão longe dessa meta. O objetivo a partir de julho de 2016, é de UFC/CBT 100 x 1000/ml e CCS de 400 x 1000/ml. As mudanças são muitas e  só serão alcançadas modificando comportamento, tendo mais dedicação e muito trabalho. Após essa data e com fiscalização mais severa, o produtor que não se adequar a normativa poderá ter a venda de sua matéria prima comprometida, lembrando que a matéria prima que produzimos é alimento, devendo estardentro dos padrões mínimos exigidos para consumo humano”, lembra o coordenador.
O Coordenador cita o trabalho que a Colagua vem fazendo para mobilizar o cooperado. “Nenhum objetivo é alcançado sem esforço, para se adequar é preciso ter além de conscientização de mudança conhecimento técnico sobre o assunto. A cooperativa COLAGUA, através do programa MAIS LEITE, em parceria com o SEBRAE disponibiliza uma consultoria tecnológica, que engloba todos os processos na produção de leite, inclusive a questão de qualidade”, destaca Carlos.

A IN 62 só veio fortalecer o trabalho que feito em cima da qualidade na Cooperativa de Guaçuí. “A primeira orientação seria o produtor mudar de postura quanto ao seu negócio, passando a enxergar sua propriedade como uma empresa rural, com planejamentos, metas e objetivos. O produtor precisa visualizar, que produzindo uma matéria prima de qualidade possibilita um melhor rendimento industrial, que resulta em um produto com maior valor agregado e mais rentável, tanto para a indústria quanto para si, que por sua vez, pode oferecer uma melhor qualidade de vida para sua família no campo”, finaliza Carlos.

Palestra falou sobre pastagem


“Caprichando na Pastagem e Colhendo Resultados”. Esse foi o tema da palestra que ocorreu no último dia 2 de julho, ás 18h30min, no Salão da Loja Maçônica Acácia Guaçuí. Na oportunidade o palestrante Zootecnista/Supervisor de Pesquisa da Fertilizantes Heringer, Humberto Luiz Wernersbach Filho, deu dicas e falou sobre a importância dos cuidados. Vários cooperados estiveram presentes e conseguiram mais informações para o setor.

CAR vai mapear as propriedades


Prorrogação e mais prorrogações, mas o prazo final para o agricultor entregar o Cadastro Ambiental Rural agora será março de 2016. Mesmo com o prazo só para o ano que vem, muitos cartórios e bancos já exigem o cadastro, o que deixa o agricultor restrito para realizar uma série de negócios. A estimativa que em Guaçuí tenham sejam 1 300 propriedades, mas cerca de 10% estão com o CAR em dia. No Espírito Santo, esse percentual é de 20%.
De acordo com Nélio Aguiar de Azevedo, a documentação precisa ser bem detalhada, muitas vezes existem divergências e isso dificulta o processo. “Existem conflitos que esbarram no ITR, CCIR e na escritura. O CAR é a chance de organizar tudo. O Idaf está sobrecarregado hoje, quanto mais o agricultor demora a fazer o cadastro, fica mais difícil a regularização”, afirma o Técnico Agrícola.
O mapeamento de dados das propriedades oferecem muitos benefícios, das questões legais até mesmo, a busca pelo plantio adequado e a correção de áreas. “Vai acontecer de fato um grande compartilhamento das informações das propriedades rurais. Isso é positivo, porque o agricultor terá um controle bem especifico de tudo”, lembra Eduardo Fitaroni, Técnico Agrícola. 

terça-feira, 21 de julho de 2015

Colagua investe no monitoramento pluviométrico

                                          Colagua acredita que a avaliação é importante para o setor

A pluviometria ajuda o pecuarista a ter uma programação, principalmente a programação de pastagens e uma espécie de armazenamento de alimento. A conferência pluviométrica, serve também para saber exatamente como fica o solo, em relação a adubação e tantos outros processos. De acordo com Fábio Luiz de Oliveira, responsável pelo setor de qualidade, a informação da precipitação de chuva, tem feito toda a diferença em várias etapas na produção de leite.
“Quando está na época do plantio, o agricultor tem como se programar bem melhor. A adubação balanceada e monitorada, evita perdas nas lavouras com excesso de sol, por exemplo, sabendo disso, a checagem dos índices tem sido uma realidade em várias propriedades. A busca aumentou tanto, que até no armazém da Colagua é possível adquirir um equipamento”, destacou Fábio.
Para facilitar e orientar o cooperado, a Colagua também adquiriu um equipamento que fica na sede da empresa. O acompanhamento da precipitação começou em julho do ano passado, desde então, ficou mais fácil tomar algum tipo de decisão junto ao cooperado. “Estamos sempre vigiando, solo umedecido, por exemplo, é sinal de absorção bem melhor dos adubos e também da matéria orgânica”, finalizou Fábio.

O que significa o monitoramento:
Monitoramento Pluviométrico é o acompanhamento diário da variação da quantidade de chuva que precipita em uma região. Este monitoramento, permite estimar o balanço hídrico de uma bacia hidrográfica, com vistas a acompanhar possíveis mudanças climáticas numa região.
 
Saiba mais:

- O pluviômetro no armazém custa R$ 11, 90. 

segunda-feira, 20 de julho de 2015

Cooperados participam da Megaleite em Uberaba


Produtores de leite da Colagua puderam ver de perto a 12ª  edição da Megaleite, principal exposição da pecuária leiteira do país, que aconteceu do dia 30 de junho a 4 de julho, no município de Uberaba, Minas Gerais. Uma troca de experiência e muita informação para os cooperados que participaram de palestras, confraternizações e ficaram sabendo das novidades do setor.

“Pudemos entender como se trabalha em cima da qualidade do leite, nessas experiências podemos encaixando dentro do que a gente pode fazer. Chegamos na quinta-feira cedo e saímos no sábado á tarde, tempo suficiente para ter acesso a palestras, leilões, confraternização de laboratórios, entre outros momentos. Tudo que aconteceu foi positivo, junto com outros pecuaristas de várias partes do Espírito Santo”, destacou Haroldo.

sexta-feira, 17 de julho de 2015

Várias gerações aprovam os produtos Colagua


                                                   Família unida que saboreia os produtos Colagua
Na mesa de muitos moradores estão os produtos da Colagua, uma parceria que existe há anos, difícil mesmo resistir a tantas delícias, além da credibilidade e qualidade. A ligação com a cooperativa está na mesa de café da manhã de muitas famílias, nos Gonçalves os produtos da Colagua não representam só uma opção, mas sim um sinal que a cooperativa como os parentes, também é como se fizesse parte da família. 
É o que conta Maria Martins Gonçalves, de 92 anos, viúva de Joaquim Gonçalves de Faria, um dos cooperados fundadores da cooperativa de leite. “Meu marido foi um dos fundadores. Lembro que levávamos leite na carroça, ainda quando era perto da ponte. Antes as pessoas consumiam leite in natura, com a cooperativa ficou mais seguro”, lembra Dona Maria, que teve oito filhos e quase todos trabalham com a produção de leiteira.
           A matriarca da família lembra da fundação da Colagua

O consumo tão intenso de leite está ligado também a rotina das famílias, como também aos benefícios que ele traz para a saúde. De acordo com a nutricionista, Grezielle Mapeli Couzzi Guilhon Lopes, leite não somente faz parte do cardápio diário, como também é matéria prima para a fabricação de vários alimentos, como iogurte, queijo, requeijão e preparações como molhos e sobremesas.
“A presença do leite e de seus derivados na dieta alimentar se faz principalmente, pelo fato de que estes produtos são fontes de proteínas de alto valor biológico, que beneficiam o crescimento e desenvolvimento das crianças e adolescentes. Devido a sua composição nutricional equilibrada e riqueza em cálcio, se torna indispensável para uma alimentação saudável, garantindo um aporte de vitaminas e de minerais essenciais à promoção do crescimento, desenvolvimento e manutenção da vida”, destaca a nutricionista.
Fácil entender essa necessidade porque em todos os períodos da vida, o leite tem um papel fundamental. “Na infância, participa da formação e do desenvolvimento de dentes e ossos, pois o cálcio presente no leite junto à vitamina D é essencial para a formação dos ossos principalmente até os 20 anos. Na adolescência oferece condições para o crescimento rápido com boa constituição muscular óssea. Uma ingestão insuficiente desse mineral nesta fase da vida pode trazer problemas a nível ósseo no futuro, sendo indispensável para as pessoas idosas, pois atua na manutenção e integridade dos ossos. O leite e seus derivados são excelentes fontes de cálcio, portanto para atingirmos a recomendação diária de consumo para adultos; que é de 1200mg/dl, devemos consumir aproximadamente, 03 copos com leite, 02 fatias de queijo tipo minas, 01 copo com iogurte além do consumo de outras fontes de cálcio disponibilizadas em outros alimentos como por exemplo vegetais verde escuros”, finaliza Greizielle.