Total de visualizações de página

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Orgulho de produzir com qualidade



Pai e filho se dedicam na propriedade

“É preciso trabalhar com qualidade e capricho”. A frase é do cooperado José Antônio Protásio de Oliveira, conhecido pelo carinhoso apelido de Zé Deusinho.  Cooperado há três anos, todos os dias tenta se superar no trabalho com a pecuária, na qualidade ele vem alcançando sempre bons resultados, com a preocupação de fazer o melhor e zelo em cada etapa da produção. Essa busca pelo melhor tem surtido resultados para o cooperado, há alguns meses faz parte do seleto grupo de produtores do rancking de qualidade. Recebeu da Câmara Municipal de Dores do Rio Preto, o reconhecimento pelo trabalho que vem realizando, o que acaba levando o nome do distrito de Mundo Novo, no município e a valorização do homem no campo.

O cooperado que consegue consorciar há anos o plantio de Café e a produção Leiteira, não pouca o tempo para ter um curral bem limpo, ordenhadeiras lavadas e secas sempre após o uso, mas não é só isso, a produção leiteira é sinônimo de nutrição, toneladas de silo foram feitas para garantir alimento ao animal. Um trabalho que foi cuidadosamente planejado, que contou com apoio também de orientação técnica da Colagua.

“Há quase três anos estou na Colagua e muito satisfeito. Tenho recebido valorização pela qualidade que produzo. É o melhor preço do mercado. Recebo assistência também que me dá um suporto maior, a técnica está sempre disposta a auxiliar no trabalho. Fico seguindo todas as dicas, não adianta só ouvir”, comenta o pecuarista.


Zé Deusinho é exemplo de tudo o que é correto fazer na produção leiteira, os animais são inseminados, a higiene é grande no curral, mas também quando as vacas ficam tomando sol, não falta comida e o mais importante: disposição para trabalhar. Hoje, o cooperado tem 50 animais no leite. Claro, que nada é feito sem a ajuda da esposa e também dos filhos, já que se trata de um agricultor familiar que é feliz vivendo no campo. “Eu sentiria até vergonha de trabalhar se não fosse assim. Preciso passar para o outro o que você usa”, finaliza o cooperado.

                                                    Silagem garantida para a seca

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Colagua se destaca na 2° Feira de Negócios



Durante os quatro dias da 2° Feira de Negócios de Guaçuí, de 7 a 10 de setembro, o stand da Cooperativa de Laticínios recebeu centenas de pessoas, a prova dos produtos foi tradicional, assim como o bate papo para entender melhor o que o consumidor deseja da Colagua. O evento que já entrou no calendário da Cooperativa veio consolidar uma marca que já está nos mercados do Espírito Santo, Minas Gerais e parte do Rio de Janeiro. 

O Presidente da Colagua, Burthon Moreira, avaliou de uma maneira bem sutil e agradeceu o sucesso grande. “Foi um esforço dos colaboradores, um momento importante para fazer contato com o produtor e também com nossos consumidores. A apresentação da cultura de nossa cidade. Nossos colaboradores não mediram esforços, ao participar e representar nossa empresa nessa importante iniciativa que foi a Feira de Negócios. Unidos somos capazes de superar qualquer obstáculo”,  comentou Burthon. 

De acordo com o Presidente da Associação Comercial e Industrial de Guaçuí, Acisg, Marcos Jauah a feira foi além do que o planejado tamanho o sucesso. Quando a nova administração começou eram 165 associados, hoje são 283 comerciantes que fortalecem esse polo no Caparaó. “Estou muito feliz porque tudo foi além do que eu planejei. A Colagua, por exemplo, acreditou no projeto e eu acredito na Colagua. Toda administração nos apoiou e fez a diferença neste evento”, finalizou. 

Os funcionários da Colagua trabalharam muito para transmitir aos visitantes como a empresa vem se destacando nesses últimos meses. É segunda vez que a Colagua participa, funciona para divulgar a marca da Colagua. “Estamos buscando novos mercados, chegamos com tudo em Vitória e queremos ampliar sempre mais, já visualizando outras regiões que não estão tão longe de Guaçuí”, afirma o supervisor de Vendas, Vilmar Diniz.

Colaborador por 20 anos Colagua


O caminhar mais cansado de quem já está com 84 anos, mas tem muito que contar sobre parte dos 60 anos da Colagua. Geraldo Mataveli é produtor rural, mas durante 20 anos também fez parte da administração da Cooperativa Laticínios Guaçuí, sempre foi o braço direito dos Presidentes que acompanhou ao longo desses anos. Na Colagua, gostava de participar das ações e sempre valorizou o homem do campo. Hoje, não fica mais na roça, acabou passando a pecuária leiteira para a família, mas o conhecimento desse setor ele não esquece. 

“Eu comecei mandando três litros de leite para Colagua, como minha propriedade era próxima, eu mesmo fazia esse transporte. O ano era mais ou menos 1986 ainda na época do latão de leite, na verdade acompanhei todas essas mudanças na Cooperativa e tenho orgulho disso. Mais tarde, cheguei a levar 300 litros por dia. Logo me interessei em fazer parte do Conselho para entender melhor o funcionamento”, conta Geraldo. 

A companheira de 42 anos de casado, Margarida Fatima Costa Mataveli, também tem boas lembranças da Colagua. “Sempre foi uma das melhores empresas para se trabalhar, quando tinha 18 anos trabalhei na cooperativa. Existia compromisso e muita luta. Tenho orgulho, porque a Colagua nunca fechou as portas, apesar de toda dificuldade. Bom ver que a empresa acompanhou a tecnologia”, afirma Margarida. 

Mesmo não mandando mais leite para a cooperativa, os produtos da Colagua continuam fazendo parte do gosto da família. O trabalho com a empresa, ele nunca vai esquecer. “Eu acordava de madrugada para tirar leite e deixar tudo pronto. Lembro que minha família trabalhava junta para prosperarmos. Tenho boas lembranças da Colagua”, finaliza Geraldo.

Orgulho de produzir com qualidade


"É preciso trabalhar com qualidade e capricho”. A frase é do cooperado José Antônio Protásio de Oliveira, conhecido pelo carinhoso apelido de Zé Deusinho. Cooperado há três anos, todos os dias tenta se superar no trabalho com a pecuária, na qualidade ele vem alcançando sempre bons resultados, com a preocupação de fazer o melhor e zelo em cada etapa da produção. Essa busca pelo melhor tem surtido resultados para o cooperado, há alguns meses faz parte do seleto grupo de produtores do ranking de produtividade. Recebeu da Câmara Municipal de Dores do Rio Preto, o reconhecimento pelo trabalho que vem realizando, o que acaba levando o nome do distrito de Mundo Novo, no município e a valorização do homem no campo. 

O cooperado que consegue consorciar há anos o plantio de Café e a produção Leiteira, não poupa o tempo para ter um curral bem limpo, ordenhadeiras lavadas e secas sempre após o uso, mas não é só isso, a produção leiteira é sinônimo de nutrição, toneladas de silo foram feitas para  garantir alimento aos animais. Um trabalho que foi cuidadosamente planejado, que contou com apoio também de orientação técnica da Colagua. 

“Há quase três anos estou na Colagua e muito satisfeito. Tenho recebido valorização pela qualidade que produzo. É o melhor preço do mercado. Recebo assistência também que me dá um suporto maior, a técnica está sempre disposta a auxiliar no trabalho. Fico seguindo todas as dicas, não adianta só ouvir”, comenta o pecuarista. 

Zé Deusinho é exemplo de tudo o que é correto fazer na produção leiteira, os animais são inseminados, a higiene é grande no curral, mas também quando as vacas fi cam tomando sol, não falta comida e o mais importante: disposição para trabalhar. Hoje, o cooperado tem 50 animais no leite. Claro, que nada é feito sem a ajuda da esposa e também dos fi lhos, já que se trata de um agricultor familiar que é feliz vivendo no campo. “Eu sentiria até vergonha de trabalhar se não fosse assim. Preciso passar para o outro o que você usa”, finaliza o cooperado.

domingo, 20 de agosto de 2017

Gerações do Café com Leite


                                              O futuro no leite está garantido, na foto Seu Geraldo Grilo, com o filho 
                                                            Luiz Américo Grilo e os netos Gustavo e João

Eles são conhecidos como “Os Grilos”, o sobrenome da família é muito forte na cidade de Varre Sai, que fica no noroeste do estado do Rio de Janeiro. Foi na Fazenda Jacutinga, na zona rural, que começou toda a história da família há mais de 100 anos. Se voltarmos um pouco no tempo, vamos descobrir que quem começou com as culturas do Café com Leite foi o Italiano Biajo Grilo que saiu da cidade de Alexandra, na Itália, para encarar a imigração no Brasil. O legado dele continua, juntos hoje os netos são um dos maiores produtores da região, dois deles fecharam parceria com a Colagua. São gerações dedicadas ao trabalho no campo.

Foi o filho Geraldo Natal Grilo que manteve a importância do trabalho firme no campo, teve oito filhos, cinco homens e três mulheres, todos dão continuidade a produção no campo. A fazenda gera empregos e acaba movimento bem a região. O agricultor viu com satisfação há parceria de alguns filhos com a Cooperativa de Guaçuí. “Eu conhecendo o Presidente sentimos mais essa confiança e estamos felizes com isso, vou tentar convencer mais filho para aumentar essa parceria”, afirma Seu Geraldo.
                                                    Boas instalações e animais de alta genética

De acordo com Luiz Américo Grilo, o novo cooperado Colagua, a produção de leite mudou muito desde a época do avô Biajo, nos últimos anos tem investido em genética, manejo diferenciado e boa estrutura nos currais. Tanta profissionalização no leite só poderia alcançar o sucesso, hoje tem 28 vacas na produção, conseguindo produzir 15 mil litros de leite por mês e ainda tem um planejamento de ampliação, sempre dê olho nas tendências do mercado leiteiro.


“Costumo dizer que não existe nada sem trabalho, aqui trabalhamos muito para conseguir esses resultados. Na época do meu pai, ele conseguiu produzir mil litros de leite por dia, sem genética e tecnologia, hoje mostrei que as novidades no mercado ajudam, tanto que consigo tirar 3.200 litros por dia. Quero deixar para os meus filhos o trabalho no campo”, destaca Luiz Grilo. 

                                                 A saúde dos animais é muito importante na fazenda

Colagua incentiva a informação no campo



                   As palestras na Colagua foram se intensificando neste ano, para ampliar ainda mais as informações no campo

Parece que a multiplicação do saber virou uma regra em 2017 na Cooperativa de Laticínio de Guaçuí. As parcerias com empresas que fornecem produtos para o armazém da Colagua fortaleceu esse desejo de ampliar os debates. Os temas abordados são atualizados e com um teor de fácil entendimento, onde eles possam aprender mais e ter em mente que aquilo que se aplica dentro de sua propriedade pode ter uma evolução e melhoria de técnicas já aplicadas.

Foi nos últimos cinco anos a frente da administração da Colagua que o Presidente, Burthon Moreira, conseguiu implementar a educação e mudanças de hábitos na vida de muitos cooperados. As palestras são marcadas e os convites chegam até os cooperados, muitos são contatados também via veículos de comunicação. Em cada evento, a surpresa tem sido pela intensificação na participação, o público aumenta em cada palestra para orgulho dos organizadores. Vale destacar que também é um momento da família, porque depois do trabalho do dia a dia, as famílias dos cooperados se unem para aprender e confraternizar.

“Uma maneira que a cooperativa encontrou também de cumprir um papel social que é a profissionalização do homem do campo. Todas as palestras fazem parte de um plano de trabalho que surte efeito também para uma aproximação com os cooperados. Estamos enfatizando que a cooperativa é a casa do cooperado. Estamos fortalecendo os laços de compromisso e também de dar continuidade as atividades da instituição”, conta Burthon.

Parcerias com empresas estão fazendo um diferencial, um exemplo foi a palestra “Estratégia para Melhorar Lucratividade da Pecuária de Leite”, que aconteceu no dia 27 de julho com o veterinário Marcos Flávio Teixeira, na sede da Colagua. A parceria foi com a empresa MSD que oferece uma linha de produtos para diversos tratamentos agropecuários. “Há tempos é mais interessante para os produtores as palestras, onde os mesmos por tantos afazeres ficam restritos às suas propriedades e produção. Quando ocorre essas oportunidades, nós temos uma imensa satisfação e prazer em levar e divulgar temas importantes, que nas palestras possam somar, promover uma melhora, alertar e sugerir mudanças, para que a cada dia sua produção seja com produtividade e lucratividade. No dia em que tivemos na Colagua,  contamos com a presença de mais de 100 produtores, que participaram com perguntas e dúvidas. Gostaríamos de agradecer imensamente a todos envolvidos, funcionários da loja, diretoria e colaboradores, pelo sucesso desse evento”, esclarece Linconl.Matosinho da MSD.


Armazém faz entrega de rações



As entregas de rações nas propriedades rurais continuam a ser feitas pela Colagua, mas houve uma mudança na programação das entregas. O caminhão com as mercadorias faz a entrega com a programação prevista sempre no primeiro dia do mês, por isso, é importante solicitar o pedido com antecedência. O funcionário do armazém, Sebastião Bazani explica que a mudança precisou ser feita para que a cooperativa atenda a uma exigência legal, sacos de ração não podem mais ser carregados nos caminhões que captam leite. A entrega continua normal para outros produtos, como por exemplo, medicamentos. O cooperado precisa apenas fazer o pedido pelo telefone (28) 3553 1152.